Entrevistas: Falando de empreendedorismo com uma consultora especialista e o Presidente da Câmara de Comércio

Olá viajante!

Na matéria de hoje falaremos de empreendedorismo em Portugal com quem entende do assunto. Conversamos com o Presidente da Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil/Pará, Reginaldo Ferreira acerca do mercado luso-brasileiro e como a câmera auxilia o desenvolvimento desses negócios. Você pode conferir também nessa matéria, a entrevista que realizamos com a empresária e consultora de empreendedorismo, marketing e gestão empresarial, Ely Ribeiro sobre sua trajetória no ramo, quais segmentos de mercado são crescentes em Portugal e suas dicas para os investidores que pretendem montar um negócio neste país.

WhatsApp Image 2018-09-12 at 16.17.36

Reginaldo Ferreira, Presidente da Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil/Pará

Conexão 351: Qual o papel da Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil-Pará?Reginaldo Ferreira: Nosso papel é aproximar os agentes econômicos de Portugal e do Pará, estimulando o desenvolvimento de negócios e de investimentos nos dois mercados. Procurar apoiar os interessados, fornecendo-lhes as necessárias informações e apoio. Na condição de Entidade empresarial sem fins de lucro, priorizamos, naturalmente, nossos associados.

Conexão 351: Há algum evento ou ação de empreendedorismo programados para 2019?
R.F: Sim. Ainda em 2018, estamos viabilizando a participação de paraenses interessados em tecnologia, inovação e empreendedorismo no evento Web Summit Lisboa, que acontecerá em novembro. Trata-se de um mega evento, com a participação esperada de mais de 60.000 empresários, palestrantes, investidores e líderes empresariais do mundo. Participaremos ainda do evento Fartura Lisboa, também em novembro, com a participação de chefs de cuisine e produtores de insumos amazônicos para a gastronomia. Esperamos concluir nossa agenda para 2019 até o final deste trimestre.

Conexão 351: Investidores ou pretensos empreendedores procuram a Câmara Portuguesa de Comércio para esclarecimentos ou orientações?
R.F:  Sempre. Apesar de nossa pequena estrutura, temos fornecido informações e orientações a todos os que nos procuram. Sempre que necessário, encaminhamos os interessados aos nossos parceiros em Portugal, para complementar o apoio necessário.

Conexão 351: Algumas empresas de serviços paraenses abriram unidades em Portugal. A Câmara tem informação da quantidade de empresas paraenses que lá se estabeleceram?
R.F: Infelizmente não. Não temos recebido dos nossos empresários a necessária informação, para complementarmos nossos registros.

Conexão 351: Qual sua orientação para quem pretende negociar com empresas portuguesas ou até mesmo empreender em Portugal?
R.F: Procurar conhecer muito bem o mercado. Inteirar-se profundamente das características e peculiaridades daquele País, onde a concorrência – em qualquer segmento – é bastante acirrada, especialmente por fazer parte de um bloco econômico poderoso e desenvolvido, totalmente integrado.

Conexão 351: Desde quando você é presidente da Câmera?
R.F: 2001.

Conexão 351: Qual o tempo de mandato?
R.F: Dois anos. O atual mandato iniciou em abril deste ano e irá até março de 2020.

WEB_EnsaioCultuga_ElyLisboa (7) (1)

Ely Ribeiro – empresária com 20 anos de experiência no segmento varejista, consultora e instrutora nas áreas de empreendedorismo, marketing e gestão empresarial.

Conexão 351: Como e quando você iniciou a consultoria para empreendedores em Portugal?

Ely Ribeiro: Eu já trabalho com Consultoria e Treinamentos Empresariais há muitos anos. Em 2015 decidi pesquisar o mercado português para investir lá numa empresa de representação e distribuição de confecções para lojistas. Nestas idas e vindas da nova empresa, sempre haviam pessoas interessadas em saber mais informações a respeito de como empreender em Portugal e com o tempo decidi prestar consultoria nessa área.

Conexão 351: Quais os melhores segmentos para empreender em Portugal, considerando o perfil de MPE?

E.R: Eu sempre digo que empreender é basicamente igual em todo mundo, ou seja: o resultado é diretamente proporcional ao perfil de quem está à frente do negócio. Tem padarias que prosperam e abrem muitas filiais e tem padarias que fecham em pouco tempo de vida. O negócio padaria é bom? Sim, é, mas a atitude do proprietário é fundamental. Diante disso, posso especificar alguns segmentos que são considerados promissores em Portugal, segundo as próprias estatísticas de pesquisas realizadas: negócios na área de turismo (hotéis, restaurantes, cafés, serviços, cuidados com o corpo, passeios), na área de tecnologia (softwares, automação), na área de estética (salões de beleza, massagens, terapias corporais, sobrancelhas, manicures). Enfim, há boas oportunidades a serem investigadas em Portugal.

Conexão 351: Você tem agendado uma Missão Empresarial com um grupo de paraenses. Fale-nos sobre essa Missão.

E.R:  A Missão é uma consequência de uma grande procura de amigos que desejavam ir a Portugal, mas sempre diziam que desejavam ir comigo, para que eu os levasse aos contatos de negócios que já possuo lá. Então a partir dessa necessidade, vi uma oportunidade de integrar os interessados numa viagem com foco em identificar oportunidades de negócios e/ou testar ideias previamente concebidas de negócios que essas pessoas desejam montar lá. Minha proposta aos integrantes da Missão é a de promover uma visita às cidades mais importantes de Portugal, com reuniões pontuais em algumas delas, onde terão a oportunidade de conhecer mais sobre como empreender lá. Teremos reuniões com Contabilista, Agências de Investimento, Corretores de Negócios, Corretor de Imóveis, Consultoria Migratória, Advogado, Consultores de Negócios que são especialistas nos Programas de Investimentos, dentre outras atividades de pesquisa de fornecedores, concorrentes e clientes.

Para fazer isso acontecer, procurei uma agência de referência e com grande know how sobre Portugal, que é a Turvicam. Ao expor sobre minha ideia, foram muito atentos a tudo e me propuseram uma solução maravilhosa que alia toda a parte de passagens, hospedagem, turismo e translado. Eu sinceramente não conseguiria um valor tão competitivo e com uma flexibilidade tão grande se não tivesse essa parceria. Estou feliz por isso, pois a Turvicam é de fato uma referência em nosso Estado quando se trata de viagens com seriedade e qualidade.

Conexão 351: Você já tem clientes que se estabeleceram em Portugal? Quais foram os segmentos escolhidos?

 E.R:   Sim. Desde 2016 comecei a aconselhar casais ou pessoas que desejavam mudar, e a partir disso tenho acompanhado com alegria alguns empreendimentos que estão com bons resultados em Portugal. Agronegócios (exportação de açaí), Confecções (biquínis e roupas de praia), e serviços de beleza são alguns dos negócios que já estão funcionando lá. Em andamento, tenho acompanhado de perto o projeto de um complexo turístico (hotel, restaurante, terapias holísticas e museu), a ser inaugurado em 2019, no norte de Portugal.

2 comentários sobre “Entrevistas: Falando de empreendedorismo com uma consultora especialista e o Presidente da Câmara de Comércio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s